31/07/2017

Não nos faltam soldados anti-Trump

Motivo #240

Até coleguinhas republicanos Donald Trump enfureceu com a decisão nazista de banir transgêneros das Forças Armadas norte-americanas. Pelo Twitter, o senador John McCain criticou Trump duramente, ressaltando que o presidente impôs um recuo gigantesco à política militar dos Estados Unidos. Já Caitlyn Jenner, transexual e "trumpista" assumida, resgatou um tweet em que o então candidato republicano se comprometia a batalhar pela comunidade LGBT. "Existem 15 mil americanos transgêneros e patriotas no Exército americano lutando por todos nós. O que aconteceu com a sua promessa de lutar por eles?", postou Caitlyn.



Motivo #241

No Instagram, várias celebridades também se revoltaram contra Trump, muitas delas usando seus feeds ou o stories para compartilhar a frase "trans rights are human rights". Figuravam no time pró-transgêneros nomes cintilantes como Ricky Martin, Sam Smith, Chelsea Handler, Gigi Hadid, Jesse Tyler Ferguson, Laverne Cox, Brian Smith, Daniel Newman, entre outros.



Motivo #242

Horas depois do veto às tropas trans nos Estados Unidos, o Ministério da Defesa do Canadá foi ao Twitter para mostrar que, nas Forças Armadas de lá, todos são bem-vindos. "Independentemente da sua orientação/identidade sexual, venha."

Motivo #243

Deu no Washington Post: o argumento (capenga) usado pelo presidente americano para expulsar militares transgêneros - "tremendos custos e interrupções médicas" que seriam causados por eles - é balela. Segundo estudo financiado pelo próprio Pentágono, apenas em Viagra as Forças Armadas dos Estados Unidos gastam cinco vezes mais do que despenderiam com a saúde dos oficiais trans.

Motivo #244

Aprenda, Trump. A Síria acaba de ganhar sua primeira unidade militar LGBT de combate ao Estado Islâmico, notório perseguidor da comunidade colorida. Trata-se do Exército de Liberação e Insurreição Queer, formado por voluntários internacionais e forças curdas. Leia aqui.

Motivo #245

Graças aos céus, nem tudo são trevas entre nações cristãs. Malta, país europeu predominantemente católico, legalizou o casamento gay em votação quase unânime, dia 13, no Parlamento local. "Alcançamos um nível de maturidade sem precedentes", afirmou o primeiro-ministro Joseph Muscat.

Motivo #246

Temos a credibilidade, a notoriedade, o prestígio - e os inebriantes olhos azuis - de Anderson Cooper no nosso time.




Saiba mais sobre o Projeto Orgulhão