29/09/2016

Bombe o seu gasto responsável com o aplicativo Moda Livre



Além de levar em conta sustentabilidade e solidariedade - mantras do Projeto Desapegão -, o consumo consciente de vestuário também pode ser adotado tendo como base outra questão séria e urgente: o combate ao trabalho escravo. Referência no assunto, a ONG Repórter Brasil diz que, nos últimos 10 anos, centenas de pessoas (sobretudo imigrantes sul-americanos) já foram encontradas no país produzindo roupas em situação de escravidão, principalmente na capital paulista e na região metropolitana de São Paulo.

Pior: muitas das oficinas de costura autuadas forneciam peças para grandes grifes e magazines, daqueles onipresentes nos shoppings.

Saiba mais sobre o trabalho da Repórter Brasil neste video

Procurando ajudar o consumidor a se informar sobre o tema, a entidade lançou o aplicativo Moda Livre (disponível para iOS e Android), que monitora a política trabalhista de cerca de 80 grifes e varejistas (obrigado pela dica, Angélica Sales, sua linda!). Ao abrir o app, você vê as marcas dispostas em ordem alfabética e as avaliações de cada uma.

Há três tipos: Melhor Avaliação (empresas que possuem mecanismos de acompanhamento da cadeia produtiva e histórico favorável em relação ao assunto); Avaliação Intermediária (empresas que, apesar de acompanharem a cadeia, precisam melhorar os mecanismos e/ou possuem histórico desfavorável em casos de trabalho escravo); e Pior Avaliação (não monitoram a produção e têm histórico desfavorável ou não responderam às perguntas da ONG).



Clicando em cada marca, você ainda acessa detalhes da avaliação e o questionário respondido (ou não) pela empresa, na íntegra. Notícias e explicações sobre escravidão, o método empregado no aplicativo e a atuação da Repórter Brasil completam os serviços do Moda Livre.

Baixe o app, turbine o seu Desapegão ou, se a sede consumista for imbatível, pelo menos ensacole roupas despidas do trabalho escravo.