15/06/2016

Catalogue as suas roupas. Sérião



Você sabe quantas camisetas há no seu guarda-roupa? E quantas calças? Quantos vestidos? Tops? O questionário pode soar ingênuo e desnecessário, mas não é: justamente por não conseguir respondê-lo, muita gente cai no fatídico "não tenho nada para vestir" quando vislumbra o look do dia. E se joga cegamente às compras, atrás de algo que, após uma boa fuçada, ressurge no próprio armário.

Pensando em frear este ímpeto consumista (e nada sustentável), um dos alicerces do Projeto Desapegão, retomei uma prática que criei há alguns anos e acabou enterrada pelo tempo: a catalogação de roupas. O nome é feio e tão chato quanto a prática em si, mas, ao menos para mim, funciona como um antídoto eficiente contra aquela falsa impressão do cabideiro tomado apenas por trapinhos velhos.

Sim, dá trabalho. Na minha última missão de esvaziar o guarda-roupa e catalogar todos os seus itens, levei quase quatro horas - e isto já tendo uma certa expertise no negócio. Se para você a tarefa parece hercúlea demais, pense na possibilidade de dividi-la em mais dias ou ir executando-a com o tempo, sem pressa. No meio do caminho, surgirão as reais velharias e aí você já pode separá-las para doação - outro pilar do Desapegão. No fim da empreitada, o seu closet estará totalmente mapeado e, quando surgir a sensação de que não existe nada nele, acesse o catálogo. Verifique então se você realmente precisa de outro sapato, de mais uma saia, da 23ª camisa ou da 8ª jaqueta. O resultado é surpreendente e libertador.

Para facilitar a visualização da bagaça, eu fotografo cada peça, com o celular mesmo, coisa bem caseira (veja acima). Aí, separo as imagens em pastas (Camisetas, Camisas, Calças, Jaquetas, Bolsas, etc.) e reúno todas em um espaço só do computador, chamado Roupas e Acessórios. Obviamente, você pode fazer de outro jeito - com planilhas, no Word, em Power Point, enfim, da maneira que achar melhor. O importante é deixar a coisa simples, objetiva e pronta para consultas rápidas. Usa algum serviço de nuvem? Suba o catálogo nele e acesse o seu guarda-roupa inteiro pelo celular, sobretudo quando aquela passada no shopping reacender a imagem enganosa do cabideiro pobrinho e trapeado.

Se a tentação falar mais alto, lembre-se do trabalhão que deu catalogar toda a sua sede consumista. Você, no mínimo, deixará a compra para outro dia. ;)