14/05/2015

Update do cabelão #2: Sá



O perucón solidário tem judiado da parceira Sabrina Braile. Ela aderiu ao projeto em novembro do ano passado (lembra?) e, livre das tesouras, sua juba cresceu tão loucamente que já quase alcança a bunda (foto à direita). Assim, ao contrário do depoimento de Paloma Cotes, outra parceirona de missão, no primeiro 'Update do cabelão', o de Sá traz um caticuliiiiino menos de entusiasmo.

Força, migusha! Pense que, no fim de tão tortuosos 365 dias, você deve gerar umas seis perucas infantis.

Eu - Como está sendo ficar todo esse tempo sem cortar o cabelo? Pode ser sinceríssima.

Sá - Confesso que estou estorvada não só com o comprimento do cabelo, mas também com a ausência de corte. O bicho vai ficando sem forma e as pontas, muito ressecadas.

Qual é a melhor e a pior parte da experiência até agora?

Acho que o pior é lidar com o tamanho do cabelo. Pra lavar essa juba toda, gasto uns 20 minutos e uma quantidade insana de shampoo e creme. Fora o calor e, no meu caso, os acidentes domésticos. Outro dia chamusquei um pedaço de cabelo ao acender o fogão. À noite, parece que o cabelo cria vida e tenta me enforcar enquanto durmo. Por outro lado, uma longa cabeleira tem lá seu charme. E ficar longe dos salões de beleza, ambiente que não curto muito, é bom demais!

Com o conhecimento adquirido, você ainda recomendaria outras pessoas a também deixarem a juba crescer por 365 dias seguidos, para doá-la?

Claro! Mas vamos ver se estarei dizendo isso no final do período, hehe.