23/03/2015

Conhece a velaterapia?



O cabelo cresce sem controle, longe das aparadinhas periódicas, para que seja doado e vire uma linda peruca. As pontas duplas, assim, surgem em progressão geométrica, bem como os fios quebradiços, fraquinhos, fraquinhos. O que fazer? Acender uma vela e rezar?

Se você não tem fé, mas tem grana, pode apostar só na vela. Um tratamento capilar ressuscitado dos anos 80 e disseminado entre as famosas - entre elas, Fernanda Lima, Preta Gil, Isabella Fiorentino, Cleo Pires e Isabeli Fontana - usa o calor das chamas para restaurar o cabelão. É a velaterapia.

Funciona assim: o profissional pega uma mecha e a enrola com os dedos, fazendo um feixe torcido. Depois, passa a vela acesa pelo comprimento. O objetivo? Cauterizar as pontas abertas e desobstruir as camadas dos fios impermeabilizados por resíduos de produtos químicos, para que recebam nutrientes e se recuperem. O processo é repetido em todo o cabelo. Espia o vídeo:



No passo seguinte, o especialista tira as pontas duplas restantes com uma tesoura - e uma técnica tão delicada que ganhou o nome de "bordado" - e, por fim, dá um banho poderoso de vitaminas na cabeleira inteira.

Recomenda-se encarar o tratamento a cada dois, três ou quatro meses, dependendo do estado da juba. E, obviamente, não começar a incinerar as próprias madeixas em casa.

Prepare o bolso

A dica da velaterapia veio da amiga diva e parceira de missão Stella Ribeiro, devidamente acompanhada do (importante) aviso sobre o preço da brincadeira. "Deixar o cabelo crescer pode custar mais caro do que cortá-lo", contou Stella.

De fato, em uma rápida pesquisa feita por salões de São Paulo pioneiros na técnica, verifiquei que o valor varia de R$ 300 (no Spa Dios) a R$ 767 (no Lace and Hair dos Jardins).

Preciso primeiro acender umas velas para ficar rico.